Blog

ARTE NA RUA PARA TODAS AS PESSOAS

118 cidades

12 A 28 DE AGOSTO DE 2022

12 - 28 AGO 22

A mesma praça, o mesmo banco, as mesmas flores e a mesma banda

A cidade de Itatiba coleciona muitos títulos que louvam suas virtudes. É conhecida como cidade do caqui, como princesa da colina, como uma das melhores cidades do país para se viver, já foi a capital brasileira do móvel colonial e até recebeu o apelido de Suíça paulista. Mas há um motivo maior pelo qual o povo itatibense se enche de orgulho, e que atende pelo nome de Corporação Musical Santa Cecília, carinhosamente chamada de “A Banda de Itatiba”.

A história da Banda confunde-se com a da cidade: Itatiba foi fundada há 160 anos e a Banda há 111. A primeira apresentação musical aconteceu lá pelo final de 1906, para comemorar a chegada da eletricidade à cidade. No início, o conjunto tinha o nome de Grêmio Musical Ítalo-Brasileiro, porque era formado majoritariamente por imigrantes italianos, depois passou a se chamar Corporação Musical Santa Cecília, em homenagem à padroeira da música.

Por conta de seu centenário, a Banda ganhou até documentário. Em 100 Anos Esta Noite, que traz depoimentos afetivos de membros sobre sua história, como na lembrança de Otávio Busca, que já foi maestro da Banda e cresceu ao som dela. Ele se lembra dos primórdios do grupo com carinho de infância pois, na primeira metade do século XX, a sede do conjunto era na sua casa, e seu pai se reunia com outros músicos para ensaiar. O documentário reflete o clima de amizade e a relação apaixonada e longeva dos músicos com a Banda.

Quem a vê hoje, com sua formação mista, repleta de crianças, adolescentes, adultos, idosos e mulheres, muitas delas atuando não só como musicistas, mas também na diretoria, não imagina que, no início, ela era composta exclusivamente por homens adultos. O grupo evoluiu com a sociedade, sem abandonar as tradições.

O repertório também acompanhou as mudanças e, atualmente, além de dobrados, marchas, valsas e peças eruditas, contempla ainda músicas populares e de estilos atuais.

A Banda participa ativamente do dia a dia da população, tocando em atividades religiosas, civis e festivas e sobrevive firme e forte graças à dedicação de seus músicos, colaboradores e o prestígio de seus admiradores.

Outra notável característica da Banda é o fato de ela ser formada desde sempre por amadores, pessoas das mais variadas atividades, que se dedicam à música, mas não vivem dela: eletricistas, pedreiros, contadores e jovens estudantes, que aprenderam a tocar trombone, clarineta, trompete, saxofone, bumbo, etc. Durante muito tempo, interessados em fazer parte do conjunto simplesmente aprendiam a ler partituras e a executar instrumentos acompanhando outros músicos mais experientes. Hoje, a Corporação Santa Cecília já conseguiu estruturar uma escola de música e conta com materiais, métodos e técnicas de ensino.

Tombada como patrimônio itatibense, a centenária corporação é um tesouro cultural de Itatiba.

Texto: Rafael Castori e Giuliano Martins