O tocador de gaita de Tuiuti

“A mesma praça, o mesmo banco, as mesmas flores e o mesmo jardim…”, a letra da música começa a ecoar na cabeça e as palavras vêm a boca quando estamos na praça da matriz de Tuiuti. Ao cair das tardes, é possível ouvir o som de uma gaita ecoando essa e outras melodias até que a hora de dormir chame seu Rubens Colazim para casa.

É assim que esse filho de Tuiuti leva sua vida de aposentado. Aos 74 anos, e tocador de gaita desde os 12, seu Rubens levanta antes do sol para fazer o café e depois já escolhe uma das várias gaitas que possui para ir passando o dia. Esse tocar por prazer já o levou para se apresentar na igreja, mas hoje, é na praça que ele vira o centro das atenções. Quando o fim de tarde chega, vagorosamente, ele caminha pela rua até a praça e, quase sempre no mesmo banco, tira a gaita do bolso e já começa seus encantamentos. Os transeuntes param para olhar e apreciar, o cumprimentam, sentam ao lado para curtir, perguntam da saúde, puxam papo e pedem uma canção. Nem um pouco encabulado, ele respira fundo e deixa soar a emoção.
_
Texto e vídeo: Giuliano Martins

Posts Relacionados

Comentários