Durante cinco dias, fui guiada por Nunes na baixada santista. Nunes é o motorista de ônibus que levou o grupo de artistas para Cubatão, Guarujá e Bertioga na primeira semana de Circuito Sesc de Artes. Por estar com um olho no gato e outro no peixe (um olho nas apresentações e outro no público), consegui ver Nunes fazendo timidamente uns passos no Cine Dance, uma tremenda estrutura que alia cenas de cinema e passos de dança, na Praça dos Expedicionários no Guarujá. O interesse de Nunes na dança não veio da praça. Nessa entrevista, ele mesmo explica.

Nunes, você conseguiu ver a programação nas praças?
Eu cheguei a ver a programação todos os dias.

E o que você achou?
Eu gostei do show de dança [Mar: uma dança com o vento], do pessoal de Pernambuco [Luiz Lua Gonzaga] e da Nilze, a sambista.

Você arrisca uns passos de dança?
Cheguei a dançar funk com Nelson Triunfo. A gente fez especial inclusive com Gilberto Gil, especial de fim de ano na televisão. O tempo passou e eu tô parado há mais de 30 anos.

O que você gostou mais na apresentação de teatro?
Teatro muito bom de Pernambuco. Realmente o pessoal lá de Pernambuco fez um dramaturgia bacana, legal. O público interagiu, foi bacana.

Como é essa relação de levar e assistir a galera?
A gente olha e fala “caramba!”. Nesse intervalo de show e de estar transportando o pessoal, a gente fica admirado e fala “poxa, o cara tá aqui junto com a gente mas realmente ele tem o dom da dança, do malabarismo, do canto”. E a gente fica legal com esse pessoal, de interagir junto, de conversar no dia a dia aqui nesses cinco dias que estamos juntos. O evento tá maravilhoso e espero que continue por muito tempo.

Você já conhecia essa região de Cubatão, Guarujá e Bertioga?
Eu já conhecia essa região da época que eu trabalhava numa empresa de ônibus. Vir com um monte de artista fica melhor, porque o pessoal gosta de interagir com o motorista, tá sendo uma troca legal!

Escrito por:

Bárbara Carneiro

Posts Relacionados

Comentários