Memórias do noroeste

Memórias tem sons diversos, são polifônicas. Além de fragmentos, cada lembrança tem um tom diferente e cada vez que a gente rememora algo parece que um timbre novo surge – ou ressurge – dando novas caras às memórias. A gente pode lembrar do carro de poetas ou da piada dos palhaços, mas às vezes o que volta na memória são os gritos das maritacas de Fernandópolis, os sons das araras de Santa Fé do Sul ou o bater de asas de inúmeras andorinhas em Mirassol. O cão que brincava com as crianças, a dona Otília cantando “Saudosa maloca” com a banda, os livros do Gabinete de Curiosidades e Habilidades. Além daquelas cidades, esses artistas andaram por Tupã, Oswaldo Cruz, Lucélia e agora vão para Santa Bárbara d’Oeste, Mogi Mirim e Americana.

O som que marca esses registros é a música “Pastel de Pixo”, do álbum Curado, de Hurtmold e Paulo Santos.

Escrito por:

Bárbara Carneiro

Posts Relacionados

Comentários