Primeira cidade produtora de uva Itália no Brasil, Ferraz de Vasconcelos se emancipou do município de Poá em 1953 e está situada na região metropolitana da São Paulo e microrregião de Mogi das Cruzes. A história da cidade sempre esteve relacionada ao comércio, indústria, principalmente à fábrica de lixas Gotthard Kaesemodel, e à estação ferroviária (cujo engenheiro que a projetou, José Ferraz de Vasconcelos, foi homenageado emprestando seu nome ao município).

Em agosto de 2014, por iniciativa do secretário municipal de cultura e turismo Edson Pascotto e a bailarina e professora Alessandra Dunia Modenese, foi inaugurado o Centro Municipal de Arte e Cultura que faz parte do projeto “Arte e Ação” da prefeitura na gestão de Acir ‘Filló’ dos Santos.

O equipamento conta com três andares, onde estão distribuídas sete salas de aula e outras duas destinadas a demandas administrativas. O local também conta com dois vestiários, uma cozinha, banheiros, recepção e garagem.

São atendidos em torno de 2000 alunos com idades entre quatro e 70 anos, por uma equipe de oito professores com formação em artes ou educação física e um coordenador pós-graduado em dança educação. Entre as atividades oferecidas estão aulas gratuitas de ballet clássico, jazz, street dance, dança de salão, teatro, ginástica e reuniões de cidadania para discutir o incentivo, estímulo, acessibilidade e desenvolvimento da cultura na cidade.

Conversamos com o professor de dança Evandro Hegel que ministra aulas de danças urbanas desde a inauguração do local em agosto de 2014: “O público em sala de aula é grande, além da busca por vagas que sempre vem aumentando. São 7 turmas de street dance que atendem adultos e crianças a partir de 7 anos. São cerca de 200 alunos nesta modalidade, que faz bastante sucesso na região, principalmente entre adolescentes que vivem um momento marcante – muitas vezes é o primeiro contato deles com esse tipo de arte”.

Evandro atua também na companhia Ritmos de Rua – B.A.S.E. de São Paulo, onde participa de aulas, workshops, competições, festivais e batalhas dentro do universo das danças urbanas. Ainda sobre o Centro de Cultura e Artes de Ferraz ele comenta: “sabemos da importância que esse tipo de projeto tem sobre as pessoas, eu mesmo fui uma ”cria” dele, onde tive meu primeiro contato com a cultura urbana, e, a partir daí iniciei uma vida de estudo e pesquisa teórica e pratica, que se transformou na carreira que sigo atualmente. A dança transforma pessoas, e eu e toda equipe trabalhamos empenhados na transformação cultural da região”.
Texto: Carolina Vidal
Fotos: Divulgação
Produção: Carolina Vidal e Fabíola Tavares.

_
Gostou dessa história? É essa a versão que você conhece? Você pode contribuir com suas memórias e complementar nos comentários abaixo com a sua versão dos fatos.

Se você tiver alguma dúvida sobre a programação do Circuito Sesc de Artes, por favor, entre em contato através do Fale Conosco do site, clicando aqui.

Posts Relacionados

Comentários